Coraaageem meeniiiina, pegue sua bagagem e vá!

 

” Portanto, não hesito em afirmar que a vida é um grande milagre,

e ele se manifesta cada vez mais quando nos autorizamos a confiar.

Confiar que, quando damos o nosso melhor, o melhor infalivemente nos acontece”.

Chris Linnares

 

ok. Vamos lá. A vida é assim é mesmo afinal não é? Em um belo dia as coisas estão correndo bem, uma beleza! E em outro belo dia não mais. Ai a gente foge, finge que não é com a gente, que daqui a pouco melhora… Ai lá vem a vida de novo e nos espreemeee até que a gente tenha coragem de enfrentá-la e de tomar decisões.  A gente se esconde, se esquiva, porque afinal uma escolha deixa para trás todas as outras possibilidades. Ai lá vem ela de novo e pronto, beco sem saída! Ou vai, ou racha. Tipo isso.

No fundo a gente sente quando as coisas estão mudando dentro de nós, e fora também. Quando aquele perfume não nos agrada mais, quando aquela opnião não se parece mais conosco, quando aquelas atividades não mais nos agrada, quando aquelas pessoas simplesmente se tornaram tão diferentes de nós… Enfim, no fundo a gente sente, só que as vezes não quer admitir.

Medo. Medo de escolher, de sofrer. Admiro aquelas pessoas que se jogam, dão a cara a tapa, se arriscam. Para alguns é tão fácil… Mas para mim? As vezes eu acho que na verdade não há indecisão alguma, mas sim falta de coragem de se assumir. Mas olha, até que estou me exercitando, meu blog serve pra isso: soltar todos os meus “cachorros”! Se estou com medo, apaixonada, feliz, triste, sonhadora, desesperançosa, confiante.. É aqui! Graças a Deus posso escrever! E quem sabe você pode se encontrar aqui, na minhas entrelinhas?

” Corageeemm menina! A vida é agora, e só você  pode decidir. Está nas suas mãos.” Será mesmo? Não sei se tudo é uma escolha minha, mas eu sei que muitas são exclusivamente minhas. Assim,  posso escolher a coragem, em vez do medo. A fé, em vez da dúvida. O amor, em vez da mágoa. A luz, em vez da escuridão. Confiar, atravessar mares, abrir caminhos.

Nada melhor então do que conhecer meus verdadeiros desejos e lutar por eles! Afinal, chega. Chega de blábláblá, de insegurança, de medo, de lágrimas! Que eu tenha coragem de me enfrentar, que eu tenha fé pra confiar, que mesmo com toda a bagagem que já carrego, que eu consiga alcançar meu caminho,  afinal eu não quero um final feliz, eu quero uma história toda feliz.

 

Ariane Sousa

Anúncios

– Eu acho que você saberá quando sentir.

 

Mas espera, e se você se apaixonar?

– Você acredita nisso?

– É amor. Não é o Papai Noel.

– E o que essa palavra significa?(…)

Essa coisa de amor não existe, é uma fantasia.

– Bom, eu acho que você está enganda.

– Ok, então… o que eu estou perdendo?

– Eu acho que você saberá quando sentir.

500 Days for Summer

 


Me diz o que faz uma pessoa ser completamente especial pra você, e para outras não? Me diz o que faz alguém te chamar tanto a atenção e para outras ser apenas mais um? Me diz o que faz uma pessoa fazer você tremer, fazer você pensar o tempo quase todo nela, fazer você chorar, rir, te afetar completamente? E me diz, o que fez você encontrar essa pessoa; aonde você estava, o que estava fazendo na primeira vez que a viu? Me diz o porque de uma e não outra pessoa? E se você não passasse por ali, ou se cruzasse com ela em outra circunstância, ou… Tantas possibilidades…

Pode até parecer infantil… Mas como, quando e porque a gente nunca sabe… Acontece. E quando você percebe já foi. E a princípio os relatos são os mesmos: “ É o jeito que ele olha, a forma como passa a mão no cabelo, a forma como ajeita a calça quase caindo, o jeito que se veste, os olhos puxados, a risada, o jeito de andar, o tipo físico magro, o cheiro…. “. O que eu vejo que outra pessoa não vê? E porque vejo isso? Talvez tentando me encontar ali… Talvez por um milhão de motivos, talvez por nenhum, talvez nem exista o porque.

Talvez eu seja romântica demais.

Mas hoje eu quero. Quero ser afetada por esse romantismo – não cego, nem hipócrita –  e por cada detalhe,  não quero me esconder atrás dessa segurança e comodidade proporcionada pelo o que é certo fazer. São tentantivas, riscos… É o que me vibra. Provar sensações; comidas que não comi, cheiros que nunca senti, paisagens que nunca contemplei, livros que nunca li… Sair todos os dias do padrão que a minha mente já está condicionada. É o que me vibra. Viver a liberdade com lealdade e dignidade.  Ah! É preciso ter coragem. Não coragem pra fazer, mas pra assumir as consequências. Vai e volta, é assim.

Me diz, o que foi que eu vi? E me diz como fazer pra você ver também. Ver os detalhes – e o porque desses detalhes, e as inúmeras informações nas entrelinhas. E me diz, porque as vezes eu vejo e você não? Ou você vê e eu nem percebo… Uma cor , uma cena, um movimento, uma música, um olhar, um brinco, um laço, um cheiro… Qualquer coisa, qualquer coisa pode nos tocar especialmente, e isso é tão louco, porque é diferente pra mim, pra você e pra cada um de nós.

Ainda bem que é assim, afinal, essa é graça.

 

Ariane Sousa

Até mesmo seca, mas sempre doce.

“Só sei que estou preparada pra quebrar minha cara,

porque eu posso ser louca,

boba e infantil, mas eu não sou medíocre”.

Tati Bernardi

 

Sabe aquela sensação horrível de estar entalada? Entalada e seca, sem nem uma água para alivar? Nem um tapinha nas costas? Palavras entram pela janela da minha alma, tentando influenciar as outras que já moram aqui, para que se libertem. Mas elas estão entaladas e a alma já meio seca não coopera. Encontro-me entalada há meses, mas eu não sabia se era água mesmo que eu queria, que dúvida, que medo! Mas de longe,  – quer a gente queira ou não, uma hora VEM – e aos poucos sinto cheiro de chuva… E hoje eu sei, o que eu mais quero é  que chova! Chova para que  eu me enfrente, pra me inundar, pra me purificar, pra me curar, pra recomeçar… Se esse verão terminou,  – quando terminou? Fingi que não vi! – é tempo de chuva, logo vem a primavera, e tudo o que peço é que eu saiba entender o sentindo de cada estação.

Mas por favor considere este texto, por mais confuso que possa parecer, pois assim estará me ajudando a desentalar! As vezes sai assim: sentenças desconexas, palavras ao aveso, coração no lugar da cabeça, olho no lugar do ouvido… O que eu posso fazer? Meus textos são assim , como retratos, fotografias que acabo de tirar daqui mesmo de dentro de mim !  Ainda não aprendi a perceber em qual estação me encontro, talvez por isso tenho saido em dias de chuva, dormido em dias de sol, semeado no inverno  e na primavera… Primavera? Ah que saudades da Primavera!

Fico me perguntando aonde foi que escolhi estar onde estou… Optei e nem vi não foi? Isso acontece o tempo todo, uma pena. Não digo que estou perdida, mas que esse caminho é novo, digo até inesperado! Sinto saudades dos nossos planos. Mas preciso ater-me a realidade, porém o que sinto por você também é real e está arraigado em mim, ultrapassa o desejo, é mais que querer bem,  é ver você sorrir e mesmo que me custe, inundo de alegria. Mas sou falha, muito fraca, posso sem querer te machucar, então me perdoe e não se afogue no rio, construa a tua ponte, que se por algum acaso eu não fizer parte da obra , com certeza estarei torcendo por você, por mim. É amor, eu sei.

Desentalando aos poucos eu vou… Se eu estiver errando saberei voltar atrás! Se não houver mais tempo, eu vou chorar. Mas vou me orgulhar de ter escolhido um caminho, de não ter enganado ninguém, de não ter trapaceado, de ter conseguido me enfrentar, de ter conseguido fazer o que eu sentia que devia fazer, de não fazer ninguém passar pela dor que já passei, de ter me mostrado, de ter vivido, de tentar aprender, de aceitar que não sou perfeita mas que pelo menos procurei acertar, e por fim de saber que não vou desistir dos meu sonhos, até meu último suspiro, até  mesmo seca,  mas sempre doce.

 

Ariane Sousa.

Neste “novo tempo”, no nosso “novo blog”!

É isso ai! Meu novo blog na ativa!

Agora é especulliar.wordpress.com

Especuliar se define pela junção de Especular – onde um dos significados é espelhar – mais Peculiar – de próprio, particular (não tão particular assim né?).

Mas não se preocupem!

Os textos publicados no atravs.wordpress.com encontram-se todos aqui – inclusive os comentários – com a data no qual foram publicados ao lado do título, para que nada seja perdido!

Espero que vocês continuem me acompanhando aqui, pois são vocês que mantêm este blog vivo, e  mais uma vez obrigada pela força de sempre!!! Desejem-me sorte nesse ” novo tempo”, no nosso “novo blog”!


Um beijo a todos, nos vemos por aqui!
Ariane Sousa.

Nasceu uma flor no asfalto! (Publicado 13.07.2010)

“O contexto é a relação entre algo e a situação em que ele ocorre. É o que permite uma correta compreensão.”

” (…) garanto que uma flor nasceu.

Sua cor não se percebe.

Suas pétalas não se abrem.

Seu nome não está nos livros.

É feia. Mas é realmente uma flor (…) “.

Carlos Drummond de Andrade.

Um mês inteirinho. Mais de um mês na verdade. Sem nenhuma palavra, expressão, frase, quanto menos um texto. É difícil para mim expor com palavras a dificuldade que encontro para criar textos quando estou fora do meu contexto. É como um peixe fora d’água, um pássaro na gaiola, uma flor que cresceu no asfalto. E não digo isso por estar literalmente em um espaço do qual não me encaixo, refiro-me à escolhas que faço que me levam para longe do contexto que sou.

Deixa eu explicar melhor. Imagine um peixe que peça para morar fora d’água, imagine um pássaro que escolha morar numa gaiola, imagine uma flor, que de todos os lugares no qual poderia nascer, escolhe o asfalto?  Até parece loucura, mas é exatamente assim que estou, fora de contexto. Olho a minha volta e a situação é uma, olho para dentro e a situação é outra. E me pergunto como foi que eu parei aqui? Será que eu sou a única que já se sentiu assim?

Resume-se em falta de coragem para voltar atrás quando se percebe um caminho errado. Em acomodação – que é quentinha e acolhedora – versus o risco que é tão… desconhecido! Em medo de se perder mais ainda. São as escolhas feitas e não o acaso.

E qual é o tempo de vida de um peixe fora d’água? De uma flor, em um asfalto? Enfim… Pra que viver fora de contexto se a gente pode arriscar, meter a cara, correr atrás, tropeçar, levantar e se assumir?

Assumir quem nós somos é pular pra dentro do nosso próprio contexto, e além disso é compreender essa relação entre a nossa essência e nossas escolhas.

Mas que texto esquisito hem – confuso até! Por favor, perdoe a autora, ela encontra-se totalmente fora do seu contexto.

Ariane Sousa.

…mas eu prefiro ser feliz!!!(Publicado 10.06.2010)

” Quando o amor não tem razão,

É o amor que incomoda.”

Fernando Pessoa.

É curioso o modo como o amor é entendido e repassado entre as pessoas. Basta perguntar a alguém o porque. Experimente perguntar à um casal o porque de se amarem.  A resposta logo virá: ” Ah! Porque Fulano é bonito, educado, cheiroso, gentil, paciente, me enche de carinho,  se veste assim, estuda isso,  tem tal coisa” … Observo a resposta tão superficial que a maioria das pessoas dão a respeito de uma pergunta tão profunda, e fico me perguntando: ” O que é o amor para as pessoas? O que realmente é o amor?”.

Percebo hoje o quão banalizado estão os sentimentos em geral. Amamos e desamamos as pessoas como trocamos de roupa. Se o outro não tiver todas as qualidades que desejamos encontrar, logo gritamos: “Próxima senha” ! Analisamos primeiramente as “qualidades” exteriores e se elas não nos agrada, passamos a vez para não perdemos tempo olhando o que o outro leva no seu interior, afinal quem hoje quer saber disso não é mesmo?

Ficamos cada vez mais egoístas, e o nosso sistema contribui para isso. Podemos observar, bens de consumo de toda variedade sendo criados para que possamos nos ver livre das pessoas, livres de compartilhar. Hoje o mercado volta-se para o individualismo. E como a língua falada muda a escrita com o tempo, o comportamento das pessoas transforma o mercado. Compartilhar não faz parte do vocabulário de muitas pessoas se não forem receber algo em troca.

A cultura que se valoriza hoje é a do próprio bem estar e dos relacionamentos cada vez mais superficiais. Troca-se de namorado ou de esposa por motivos pífios, como porque o sexo com a esposa não é mais o mesmo, porque o relacionamento está monótono e coisas do tipo. Se não está bem para nós, trocamos. Simples assim trocamos as pessoas como trocamos objetos. Me assusta a não aceitação do que o outro é. Me assusta a estagnação do individualismo que não permite o crescimento, a evolução através do partilhar experiências.

A aceitação do outro é aceitar mais do que ele pode nos oferecer, é mais do que suas qualidades. É tudo que o outro carrega consigo: suas crenças, seus valores, qualidades, defeitos, sonhos, frustrações, seu passado, suas dores e medos e uma infinute de exemplos que não caberiam aqui. Afinal somos tão complexos e por mais egoístas que as vezes sejamos, desejamos ser amados em toda nossa complexidade e não sermos trocados como tantas vezes trocamos o outro.

A aceitação não combina com total depêndencia, não combina com deixar-se de lado, não combina com deixar esmagarem sua autoestima, não combina com conformismo. Aceitação é entender o quanto você também é complexo, cheio de defeitos, qualidades, passado, valores, sonhos… E entender o quanto você pode precisar do seu próximo, hoje, amanhã, quem sabe? Aceitação é respeitar e perdoar o outro sem um motivo pra isso, porque você também precisa de respeito e perdão . Aceitação é entender que nínguem é perfeito – mas claro, se você for  uma pessoa perfeita, desconsidere o texto.

O que sempre me encantou foram pessoas diferentes na essência. Porque hoje todo mundo procura ser tão diferente exteriomente – e o campo exterior é tão limitado – que acabam sendo todos iguais. O amor que não encontra razão de ser, o perdão que não encontra a razão de se fazer, a aceitação que não encontra a razão pra existir. Me encanta o sincero, mais do que o bonito.

Se um dia você optar por aceitar sem razão, não se espante com o julgamento dos outros, aceitar sem razão incomoda, amar sem razão incomoda. No fundo todos nós estamos procurando alguém que nos aceite bem assim como somos, sem que seja necessário transformar o amor em um jogo com manuais de como homens e mulheres se comportam.

O amor para mim é aceitação sem razão. E no mundo de hoje, não basear-se na razão é burrice, loucura… Desculpe, mas prefiro ser feliz, do que ter razão.

Ariane Sousa.

Agora, olha pra mim. (Publicado 23.05.2010)

” Ao me deitar

O céu me ouve agora

Estou perdida sem uma causa

Depois de me dar por inteira

As tempestades de inverno vieram

E escureceram meu sol

Depois de tudo o que passei

A quem posso me voltar? “

I Look to You – Whitney Houston


Brasília, 23 de maio de 2010

Essa é mais uma carta de tantas que já Te enviei, as vezes não exatamente em forma de carta, mais de um pedido, uma prece, uma ajuda. E é exatamente isso que vim  através dessa carta Te pedir, a quem mais posso me voltar?

O sol que Você trouxe a uns dias atrás escureceu. Está tudo tão escuro por aqui, eu mal consigo enxergar qualquer coisa. Fora a dor. Sei de onde ela vem, mas está tão grande que não cabe mais aqui dentro, cada parte do meu corpo está gritando o nome dela. Mas eu olho pra Você. E sei que quando as minhas forças acabam,  em Você eu posso ser forte.

Eu já passei por isso antes, só não estou entendo porque passar de novo? Você poderia me explicar? Será que da última vez não foi suficiente para eu aprender? Eu não queria ter voltado pra cá entende? É tão solítario aqui, e frio… Aqui as melodias se foram… Mas eu olho pra Você. E em Você eu ouço uma canção.

Por favor, eu estou escrevendo pra Você me ensinar de novo, e também pra pedir que desta vez Você me ajude a aprender de verdade, pra eu não ter que voltar aqui… Tá doendo tanto… Mas eu olho pra Você. Sei que em Você posso me libertar.

O meu amor foi destruído, os meu sonhos se frustraram, eu lutei tanto sabe, e não consegui vencer…Porque?? Eu queria tanto, tanto, tanto ter conseguido…Mas eu olho pra Você.  Por favor me leve pra longe da batalha…

Agora, olha pra mim. OLHA PRA MIM. Eu estou perdendo minha respiração. Não vejo mais porque lutar.  Preciso de Você pra brilhar sobre mim.

Olha pra mim.

Ariane Sousa.



Ariane Sousa. Aspirante à escritora!

Estudante de Comunicação da Universidade de Brasília, espelhando o mundo através das palavras, libertando a alma e o coração! Aspirante à escritora? SIM!

Dias Que Escrevi:

agosto 2018
S T Q Q S S D
« fev    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

Arquivo:

Anúncios